Todo protocolo de Geminação ou Irmandade, precisa de dois momentos: quando se declara a intenção e quando se formaliza legalmente, esta mesma intenção. Estas intenções precisam ser aprovadas pelas Câmaras Municipais dos municípios que praticam as irmandades. As Secretarias de Assuntos Internacionais dos países também fazem parte deste processo.

Geminar ou Irmanar quer dizer: fazer duas terras serem mais próximas em sonhos e realidades, mesmo sendo distantes e diferentes. Terem vontade de fazer alguma coisa juntas. Serem parceiras voluntárias da cultura interativa pela vontade e ações política destas mesmas cidades. Não deve ser apenas um ato político mas sim, de intercâmbio em todas as áreas do conhecimento humano e das culturas sociais.

A palavra “Irmandade” é usada mais entre os países americanos. A palavra “geminação”, entre os países europeus, mas significam a mesma coisa: terras irmãs, ou seja, geminadas.

As Irmandades ou Geminações são espaços oficiais de intercâmbio social, político e cultura da maior importância para quem as pratica. Aproximam e fomentam energias capazes de ampliar relações que poderiam demorar muito mais para acontecer.

Gramado tem desenvolvido relações fraternas oficiais com outros países, fazem dezenas de anos. Diálogos que favoreceram o crescimento e o desenvolvimento do Município e ao mesmo tempo, possibilitaram que outros povos soubessem do que somos capazes de fazer e de oferecer.

TERRAS IRMÃS DE GRAMADO

PUERTO VARAS no Chile

MALDONADO no Uruguai

ANGRA DO HEROÍSMO nos Açores, Portugal

ÓBIDOS em Portugal

LEVICO TERME na Itália

PUERTO VARAS

Gramado já realizou a Irmandade (Irmandad) com Puerto Varas, no Chile, em 03 de novembro de 1991, à noite, no Hotel Serrano, Centro de Convenções, aconteceu a SOLENIDADE DE ASSINATURA DO CONVÊNIO, com jantar oferecido pela Prefeitura Municipal. O acordo foi assinado peloPrefeito Nelson Dinnebier de Gramado, e pelo Alcaide Guido Rehbein Felmer, de Puerto Varas. O elo da Irmandade é o Mercosul que na época incentivava o turismo nas fronteiras internacionais. Não houve assinatura em Puerto Varas.

História de Puerto Varas

A fundação de Puerto Varas, remonta ao ano de 1853, quando uma série de ações governamentais foi levada a cabo pelo Governo que pretendia incorporar territórios desabitados da zona sul ao resto do país. Ao ser criado o território de Colonização do lago Llanquihue, por Decreto Supremo do Ministério do Interior, em 27 de junho de 1853, se começa com um crescente povoamento da zona com imigrantes vindos principalmente da Alemanha.

Dentro das principais localidades que formam a Comuna, se destaca Puerto Varas como sede e Nueva Braunau, Ensenada, La Fabrica, Colônia Três Puentes, Colônia Rio Sur, Rio Pescado, Ralún, Petrohué, Peulla, Santa Maria e uma parte da nova cidade satélite de Alerce. A cidade de Puerto Varas é considerada um dos centros urbanos principais, possuindo mais de 10.000 habitantes e pelo seu peso demográfico e sua lista funcional organizada, se destaca de todo o sistema urbano regional.

A Comuna de Puerto Varas se encontra situada no extremo centro sul do país. Possue uma superfície aproximada de 4.087 km2, correspondente a 6% da superfície regional e a 26% da Província. Pertence a Província de Llanquihue, sendo uma das cinco províncias que contornam a Região dos Lagos. As características geográficas são marcadas pela proximidade da Cordilheira dos Andes, cujas principais alturas fazem parte de seu cenário. O Cerro Tronador, com 3.470 m de altura e os vulcões Osorno e Calbuco. Destas montanhas nascem muitos rios que seguem diversos cursos, desembocando nos lagos e depois rumo ao mar. É um centro turístico e sua formação alemã aproxima muito Gramado com este espaço latino.

MALDONADO

Gramado irmanou com Maldonado, Uruguai, em 13 de agosto de 1993, quando foi assinada a Carta de Intenções de Irmandade (Irmanamiento), em Gramado, durante o Festival de Cinema, O Convênio de Relações Fraternas foi assinado em Gramado 05 de maio de 1994, durante a II Semana de Integração Cultural entre Brasil/Uruguai. Assinaram os documentos o Prefeito municipal de Gramado, Pedro Henrique Bertolucci e o Intendente da Câmara Municipal de Maldonado, Dom Domingo Burgueño Miguel. Os dois eventos aconteceram no Cine Teatro Elisabeth Rosenfeld, no Centro Municipal de Cultura, hoje, Casa Legislativa.

Esta Irmandade tem provado o quanto estas ações podem fazer pelo turismo americano, também estimulado pelo Mercosul.

História de Maldonado

A povoação de Maldonado iniciou em 1755, realizados pelo Governo de Montevedéo, por José Joaquim de Viana, sem ordem expressa  do Rei. O Departamento de Maldonado está situado no litoral fluvial e marítimo do Rio da Prata e do Oceano Atlântico. Ocupa uma superfície de 4.793 km2 no Sudoeste da República Oriental do Uruguai. Tem uma costa de 100 km sobre o Rio da Prata e o Oceano. Apresenta um grupo de colinas, cochilhs e serras que a atravessam de norte a sul, separados por rios e arroios. Se podem apreciar as elevações mais importantes do país, como o Cerro Catedral, de 513m de altitude. Três condições o distinguem dos demais Departamentos do país, pois tem costas, serras e bosques.

Os centros mais importantes são a cidade de Maldonado, capital do Departamento ou Município), Punta del Este, Piriápolis, San Carlos, Pan de Azucar e Aigua, sem contar os demais pequenos centros povoados.

As principais atividades que se desenvolvem no Departamento, estão relacionadas com o turismo para o qual tem se convertido na principal atividade econômica. Ainda são importantes a agricultura, a pesca, granito e pedras laje.

Desde o período colonial, Maldonado era a segunda cidade da Banda Oriental, pela sua posição estratégica importante na entrada do Rio da Prata, com seu amplo e seguro porto. Por isto sempre teve a atenção especial dos reis de Espanha e foram favorecidos tanto no aspecto militar, como religioso e social.

ANGRA DO HEROÍSMO

Em 09 de março de 2004, Gramado geminou com Angra do Heroísmo, nos Açores, Portugal, assinando a Carta de Intenções e buscando nesta Geminação, o reencontro com suas raízes lusas e com um turismo que desponta nos países europeus, em especial, para o Brasil do sul. O documento foi assinado pelo Prefeito Pedro Henrique Bertolucci, de Gramado, e pelo Presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, Dr. Sérgio Humberto Rocha de Ávila.

Em 22 de outubro de 2012 aconteceu a assinatura da Protocolo de Geminação,  dentro das comemorações dos 260 anos do Povoamento Açoriano no RS, na Câmara Municipal de Vereadores de Gramado. O documento foi assinado pelo Engenheiro José Élio Valadão Ventura, Vice Presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo e Luiz Antônio Barbacovi, Vice Prefeito em exercício, de Gramado.

História de Angra do Heroísmo

O Arquipélago dos Açores (09 ilhas), Portugal, fica a cerca de 1500 km a oeste da Península Ibérica (Lisboa) e possui um Governo Regional autônomo. Angra do Heroísmo situa-se na Ilha Terceira e é um município muito festeiro, como Gramado. Angra do Heroísmo é um dos pólos da Universidade dos Açores e um dos centros administrativos da Região Autônoma dos Açores.

O Conselho de Angra do Heroísmo (Câmara Municipal), tem domínio sobre 240 km2 e uma população aproximada de 40.000 habitantes de uma comunidade histórica que remonta às grandes descobertas portuguesas e que traz no seu dia a dia, o cantar, o vestir, o viver e o agir herdado dos antepassados, com uma galhardia que só a simplicidade da cultura pode entender.

Angra do Heroísmo é formada por 19 freguesias (bairros ou localidades) e tem sua altitude máxima na Serra de Santa Bárbara, com 1.023 m. Patrimônio Histórico tombado pela UNESCO desde 1983, Angra será uma parceria fantástica quando resolvermos trocar ideias sobre a hortênsia, que lá, também fez história.

"As mãos aprenderam com o tempo a construir a rara beleza das nossas pequenas grandes coisas". Assim o povo do Conselho de Angra do Heroísmo pensa quando tece suas colchas de lã de cores matizadas; quando borda à mão em linho branco cru; quando faz rendas delicadas; quando escultura dentes e ossos de baleia; quando cria balaios de vime ou quando dança e canta suas toadas nascidas em violas de arame, tambores e ferrinhos.

ÓBIDOS

Gramado tem outro município Irmão em Portugal. A Carta de Intenções de irmandade (Gemionação) com o município de Óbidos foi assinada em 21 de novembro de 2007, demonstrando o interesse de ambos em Geminar. Foi assinada a 2ª fase da geminação, em Óbidos em 21 de janeiro de 2008,pelo Prefeito Municipal de Gramado, Pedro Henrique Bertolucci e pelo Presidente da Câmara de Óbidos, Dr. Telmo Henrique Correia Daniel Faria.

História de Óbidos

O Conselho de Óbidos possui população aproximada de 11.000 pessoas, numa área de 144 km2, distribuídos em nove freguesias: A. dos Negros, Amoreira, Gaeiras, Santa Maria e São Pedro (Óbidos), Olho Marinho, Sobral da Lagoa, Usseira e Vau. Todas ligadas por fáceis acessos, para saudáveis passeios.

No Conselho de Óbidos podem ser encontrados o sossego e a paz que emana do interior. Formosas “quintas” (sítios particulares) que acentuam a beleza da região. Em Óbidos, “a arte e a natureza deram-se as mãos para embelezar e enriquecer, oferecendo ao visitante emocionantes recordações históricas e paisagens de encantamento.” Num raio de 20 km do núcleo que é a VILA DE ÓBIDOS, existem formosas praias com reconfortantes banhos do mar português. Atraídos pelas belezas e riquezas deste Conselho, numerosos visitantes o elegeram como local de veraneio, especialmente nos arredores da Lagoa de Óbidos.

A administração é feita pela Câmara Municipal, através de um Presidente, um Vice Presidente e três Vereadores, dos quais, dois, estarão presentes na assinatura deste protocolo de irmandade. Os Vereadores tem incumbências como os nossos Secretários Municipais, mas várias Secretarias juntas.

A VILA MUSEU, sede do Conselho, soube, ao longo dos séculos, crescer e evoluir respeitando e mantendo vestígios de várias épocas, estilos e culturas. Uma Vila Medieval, cingida por larga muralha que abriga um labirinto de ruas estreitas e irregulares, bem como um casario branco de uma herança cultural, hoje, sinônimo de turismo cultural. Atraídos, quer pela Vila, quer pela beleza e riqueza do espaço físico em seu entorno, os visitantes a elegem como local de veraneio.

LÉVICO TERME

A assinatura da Carta de intenções de Irmandade (Gemellaggio) com Levico Terne, na Itália aconteceu em  cerimônia informal no sábado dia 20 de novembro de 2010, no Serra Park, durante o 22º Festival do Turismo. A Carta de Intenções foi assinada pelo Prefeito Nestor Tissot, e por Werner Acler, delegado do Prefeito de Lévico Terne. O Gemellaggio em Levico Terme aconteceu em 28 de agosto de 2011, na presença do Vice Prefeito Luiz Antônio Barbacovi, de Gramado e pelo Prefeito de Terme, Gianpietro Passamani.

História de Lévico Terme

Levico Terme se localiza na região montanhosa da Província de Trento. Uma cidade de aproximadamente 7 mil habitantes que recebe mais de 1 milhão de turistas por ano. As principais atrações da cidade são eventos como: a Feira de Natal, que acontece de 22 de novembro a 06 de janeiro; a Estação de Águas Termais, de abril a outubro e a Estação de Esqui, no inverno. A cidade é conhecida também pelo queijo Vezzena, produzido a partir de pastagens localizadas a 1.600 metros de altitude e pelo Lago de Levico, com inúmeras atividades durante o verão. O Lago Levico foi formado em tempos relativamente recentes, devido à construção de uma barragem.

O nome de Levico apareceu pela primeira vez em um documento datado de 29 de outubro de 1184. Em 01 de abril de 1894, Levico foi elevada à categoria de cidade pelo imperador Franz Joseph I, e em 1896 acolheu a abertura da estrada de ferro Valsugana. A cidade foi duramente afetado pela devastação da Grande Guerra e reconstrução foi muito lenta.

Levico Terme é composto por seis distritos: a Igreja (noroeste), Furo (nordeste), Grande (sudoeste) e Cortina (sudeste), no centro da cidade; Oltrebrenta, que inclui todas as aldeias ao sul do rio (Barco, Santa Juliana, Quaere) e Selva, que inclui o site vila homônima imediatamente adjacente ao leste do núcleo principal.

Pesquisa e Texto: Marília Daros - Historiadora e Diretora de Patrimônio do Arquivo Histórico Particular Hugo Daros

Compartilhe!